Não existe vida comum e habitual, apenas olhos domesticados

“Se o cotidiano lhe parece pobrenão o acuseacusese a si próprio de não ser muito poeta para extrair as suas riquezas”… Rainer Maria Rilke.

 

 

O ano passou muito rápido, praticamente já chegou ao fim , às vezes tenho a sensação que os dias se tornam cada vez mais curto, e o tempo passa cada vez mais rápido. E no ordinário da vida: entre tantas tarefas, prazos, obrigações e demandas que parecem tomar mais tempo do que possuo.

De vez enquanto, a rotina  sufoca e me sinto aquele disco riscado que toca a mesma música, pulando de faixa.  E o piloto a automático faz tudo parecer um borrão em alta velocidade. E parece que vivo a monotonia diária a espera de momentos incríveis que só ocorrem  esporadicamente.

Mas, será que como diz  com diz Julio Iglesias?De tanto correr pela vida sem freio
Me esqueci que a vida se vive num momento. De tanto querer ser em tudo o primeiro
Me esqueci de viver os detalhes pequenos. De tanto lutar sem pensar no fracassoDescobri sem querer que eu vivi sem motivo.

E com isso acabei perdendo o melhor,  esqueci de viver. Sigo apenas no automatismo repetindo pensamentos prontos e passando pela vida alheia ao inédito que se manifesta cotidianamente.

Visto que, é no dia-a-dia que  moram alegrias permanentes,  que  reside as pequenas coisas que colorem o dia, as sutilezas que têm o poder de aquecer o coração.

Resgatar o olhar de novidade e contemplar o cotidiano, em  estado de atenção. Pode ser exatamente o antidoto que preciso para me reencantar pela vida que acontece no aqui e agora. Desenvolver o tripé: análise-observação-indução.

Ver a beleza que se esconde na rotina,  com olhar da novidade de botar reparo nas coisas, de enxergar além do que vejo, ouvir mais . Afinal, não se pode  ignorar as sutilezas do cotidiano e ficar no aguardo apenas de algo semelhante sempre grandiloquente para chamar á atenção.

Se for dessa forma, eu não terei um processo rico de vida, já que ela em si não é representada por esses pontos que se destacam, mas pelo processo que se vive no habitual.

Recado importante📢 Nós não conseguimos transformar aquilo que não conhecemos, então o primeiro passo é conhecer a nossa história.

👉https://papodehomem.com.br/ser-um-flaneur-e-quebrar-a-rotina-ou-perceber-o-que-ninguem-mais-percebe/

A minha alucinação é suportar o dia a dia.
E meu delírio é a experiência com coisas reais”
Belchior

 


Descubra mais sobre Crônicas, reflexões e pensamentos

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

6 pensou em “Não existe vida comum e habitual, apenas olhos domesticados

    • Muito importante a sua reflexão, principalmente pra quem trabalha na luta pela justiça! Cada coisa que a gente vê, vivi uma história parecida esta semana. 🙁

  1. Hiya very nice blog!! Man .. Beautiful .. Wonderful .. I’ll bookmark your web site and take the feeds also…I’m satisfied to search out numerous useful information right here in the put up, we need develop extra strategies in this regard, thanks for sharing. . . . . .

Obrigado pelo contato :)