Sindrome de Gabriela

Síndrome Gabriela | Frases motivacionais, Frases e imagens ...

Nota inicial: Não é porque o princípio nos foi ensinado que ele é verdadeiro.

 

O nome para a Síndrome de Gabriela foi inspirado num trecho da canção: Modinha para Gabriela, de Dorival Caymmi, que dizia em seu refrão – “Eu nasci assim. Eu cresci assim. Eu sou mesmo assim. Vou ser sempre assim, Gabriela…”. Além de um trecho da famosa música, também interpretada por Gal Costa, estas frases se transformaram num bordão que atualmente usamos para identificar as pessoas que têm dificuldades em aceitar mudanças.

Ao agir como Gabriela, a pessoa deixa evidente a atitude de não querer mudar, pois realmente acredita que nasceu de um jeito, que é deste jeito e, que desse jeito morrerá. Entretanto, como diz outra frase – Tudo que resiste, persiste! Ou seja, quanto mais resistente às mudanças, mais elas se tornam necessárias.

E sabe por que mudar é preciso? Porque a mudança faz parte da vida, pois quando os nossos comportamentos e a nossa forma de pensar, ao invés de ajudarem em nosso crescimento profissional, intelectual, emocional e comportamental nos atrapalham; é hora de rever nossos conceitos e de nos abrirmos para o novo.

 

O problema é que, em alguns casos, as pessoas nem mesmo percebem a necessidade de mudança e acabam repetindo, dia após dia, os mesmos erros. Isso ocorre, em parte, por falta de autocrítica e autoconhecimento e também de feedbacks daqueles que estão ao seu redor, uma vez que nem sempre conseguimos dimensionar, sozinhos, a natureza dos nossos comportamentos. Por isso, também precisamos de um retorno externo, uma visão de fora que nos dê outra perspectiva e nos ajude a mudar.

 

Como Eliminar a Síndrome de Gabriela

A Síndrome de Gabriela pode ser entendida como a dificuldade de aceitar mudanças e a resistência ao novo. A pessoa crê que seu jeito é o jeito certo e ponto final e, ignora, veementemente, os sinais de que sua forma de ser, pensar e agir pode estar, na verdade, lhe sabotando em vários aspectos.

Quer exemplos?  – O profissional que recebe feedbacks constantes do seu chefe quanto aos atrasos nas demandas, por conta de ficar muito tempo na internet e, que ainda assim continua atrasando o trabalho e navegando durante o expediente. – A pessoa que é rude na forma de conversar e, que mesmo alertada sobre seu jeito ofensivo, continua a agir de forma grosseira.

Não é preciso esperar ser demitido ou que alguém reaja igualmente de forma agressiva para mudar, é? Estes casos deixam evidente como a mudança é importante para nossa evolução e crescimento como seres humanos, pois continuar a dar murro em ponta de faca é continuar a se ferir.

Para eliminar a Síndrome de Gabriela é preciso fazer um autofeedback, que na prática representa conhecer seus pontos fortes e de melhoria, e se permitir mudar os aspectos que limitam você e precisam ser melhorados. A não ser a morte, tudo na vida é mutável e pode ser transformado para melhor, à medida que encontramos um novo direcionamento para nossa forma de pensar e agir.

Portanto, não é porque você age de um jeito, que você não possa, a partir de agora, começa a agir de outro. Tudo é questão de congruência, pois quando você muda a sua forma de pensar, naturalmente suas atitudes mudam também. Como consequência disso, você tem a possibilidade de se reinventar, expandir seus horizontes e não ficar estagnado, vivendo o erro de que você é como é e ponto final.

Lembre-se disso e aceite o convite para mudar, para eliminar as crenças limitantes que sabotam seu sucesso e para desenvolver uma nova mentalidade, que ajude a criar novos comportamentos e resultados. Reflita sobre os pontos onde você pode evoluir e, permita-se caminhar este caminho, e tornar-se verdadeiramente a melhor versão de você. Mude para melhor!

Fonte do texto:https://www.jrmcoaching.com.br/

Ps♣ As flores mais belas e de melhores perfumes, de regra, brotam nas paredes de precipícios. Para colhê-las é preciso coragem e uma boa dose de audácia. Jamais se pode perder a coragem de enfrentar os riscos. MK

Peixe

 

2 ideias sobre “Sindrome de Gabriela

Comentários encerrados.